O volume crescente de exigências regulatórias e legais num cenário econômico incerto, ainda em compasso de espera pela retomada da economia, põe as empresas brasileiras sob dilema de investir, concomitantemente, “para fora” e “para dentro”. Em outras palavras, ao mesmo tempo em que as organizações se vêem obrigadas a ampliar seus investimentos (em pessoas, processos e tecnologias) para responderem às pressões externas que ameaçam seu negócio – como cerco regulatório, lei anticorrupção, ataques cibernéticos e questões trabalhistas e ambientais – precisam garantir maximização de seus processos internos para responder ao foco de produtividade e eficiência. O resultado é que o custo do business é elevado, justamente em um ano em que a rentabilidade está sob um fio.

É neste cenário que a gestão de riscos corporativos tem a chance de desempenhar papel estratégico. Impulsionadas pela necessidade premente de cumprimento dos objetivos de negócio definidos pela Alta Administração, as estruturas de Risco e GRC das companhias têm sido compelidas a aprimorarem seus sistemas de gestão de risco, com foco na mitigação de riscos prioritários e antecipação a crises. Mas como garantir a assertividade do gerenciamento de risco na preservação de valor das organizações?

É na direção desse desafio que a programação do CORP RISK 2017 foi desenhada. Em dois dias de congresso, Diretores de Risco e Chief Risk Officers de grandes companhias – como CPFL Energia, Itaú, AXA Seguros, Santander, GetNet, M.Dias Branco, Goldman Sachs – irão apresentar as metodologias que utilizam para mapear, mensurar, monitorar e tratar seus principais riscos, incluindo compliance, reputação e imagem, cyberscurity, fluxo de caixa, operacionais, assuntos trabalhistas e ambientais.

Mais que debates, o congresso mostrará casos práticos, organizando ainda dois workshops:

1) Gestão de Riscos de Compliance: que apresentará três metodologias distintas de gerenciamento, entre modelos quantitativos e qualitativos, integrados ao ERM; e

2) Planos de Continuidade de Negócios e Gestão de Crises: detalhando as fases do projeto e principais aspectos da implementação, como testes e treinamentos. Este último workshop dará ainda o direito aos participantes de receberem um certificado emitido pela Federação Álvares Penteado (FECAP).

Tenham um excelente congresso!